No terceiro ano de perdas, Brasil fecha 20 mil vagas formais de emprego em 2017

No terceiro ano seguido com cortes no mercado formal de trabalho, o Brasil fechou 20.832 postos com carteira assinada em 2017. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) foram divulgados nesta sexta-feira pelo Ministério do Trabalho. O Rio de Janeiro foi o estado com o pior desempenho do país, com mais de 90 mil vagas formais fechadas.


© Foto: Paulo Fridman/Bloomberg

Apesar do resultado negativo, o saldo do ano passado é melhor que o registrado em 2015 (fechamento de 1,5 milhão de vagas) e em 2016 (encerramento de 1,3 milhão de postos de emprego). Nesses três anos de destruição de postos de trabalho, o Brasil perdeu 2,8 milhões de empregos com carteira assinada.

LEIA MAIS:

Em 2017, quase 80% dos reajustes salariais ficaram acima da inflação

OIT prevê que emprego precário atingirá 1,426 bilhão de trabalhadores em 2019

No ano passado, foram registradas 14.635.899 admissões e 14.656.731 demissões no mercado formal brasileiro.

— Para nós, esse dado significa estabilidade de emprego. Nós tivemos oito resultados mensais positivos em 2017, ao contrário de 2015 e 2016 — disse Mário Magalhães, coordenador de estatística do Ministério do Trabalho.

Com o corte de vagas em 2017, o Brasil fechou o ano com um estoque de 38,29 milhões de empregos formais existentes. Esse é o estoque mais baixo desde o final de 2011, quando 38,25 milhões de pessoas ocupavam empregos com carteira assinada no país. Para Magalhães, a partir de agora, o país vai voltar a gerar empregos.

— A nossa expectativa é de que agora haja um ciclo de crescimento — afirmou.

A maior redução de vagas formais foi no setor da construção civil, que encerrou o ano com saldo negativo de 103.968 empregos com carteira assinada. A indústria de transformação apresentou redução de 19,9 mil postos de trabalho.

Por outro lado, o comércio liderou a geração de empregos com saldo positivo de 40.087 postos, representando reversão da tendência verificada nos anos de 2016 e 2015. Os setores da agropecuária (37.004) e dos serviços (36.945) também encerram o ano contratando mais que demitindo.

Entre as regiões do país, o resultado foi puxado pelo desempenho do Centro-Oeste e do Sul, que apresentaram saldo positivo de emprego, da ordem de 36.823 e 33.395 postos de trabalho, respectivamente. As demais regiões apresentaram saldos negativos.

RIO TEM PIOR DESEMPENHO DO PAÍS

O Rio de Janeiro fechou 92.192 vagas com carteira assinada em 2017, o pior desempenho entre os estados brasileiros. Em três anos, a perda superou 500 mil postos de trabalho formais.


VEJA TAMBÉM:

✓ Ministro do STF Luiz Fux diz que não faz sentido Lula concorrer



links patrocinados
→ Visitar website CADASTRE-SE AGORA >> Descubra as melhores dicas de como ganhar bitcoin gratis em 2019! tudo isso, free, online e rapidamente por dia - Clique Aqui e Confira!


ANUNCIE AQUI VOCÊ TAMBÉM (11) 94499-9365 ☎



links patrocinados
→ Visitar website QUERO ME INSCREVER AGORA >> Curso Online 100% Seguro - Aproveite Garantia de Qualidade, Fórmula Fácil e Infalível, Acesso Imediato.

links patrocinados
→ Visitar website QUERO EMAGRECER AGORA >> EMAGREÇA DE FORMA RÁPIDA E DEFINITIVA! Conquiste o corpo que sempre sonhou, conheça, Lipo Max Turbo!

links patrocinados
→ Visitar website SIM! QUERO SABER MAIS AGORA >> Aprenda a Conquistar Qualquer Homem com Apenas Algumas Simples Frases! Recomendação: Use sempre! Sem moderação!


Compartilhar Google+

ADM: Conectado São Paulo

    COMENTÁRIO DE BLOGGER
    COMENTÁRIO FACEBOOK

0 Comentários:

Postar um comentário